LatCam

| NEGOCIOS | CAMARA DE COMERCIO | BRASIL |
How to Ease Imports into Brazil: Tips from a Legal Practitioner
— nota do nosso colaborador Patrick Castiglia —
— Ligia Maura Costa, Ph.D. International Trade Law, Professor Business Shool G. Vargas São Paulo, Visiting Professor University of St. Gallen (CH), 14.04.10 Zurique.

Tive o prazer de representar o PuntoLatino.ch em mais um evento organizado pela Câmara de Comércio da América Latina na Suíça. Dessa vez o evento foi no Club zum Rennweg, com a palestrante Ligia Maura Costa, sobre "How to ease imports into Brazil". Para quem não a conhece, Ligia Maura Costa é formada em Direito pela Faculdade de Direito de São Paulo e tem um PhD em international trade law. Além disso, é autora de diversos livros publicados no Brasil e no exterior, docente da Fundação Getúlio Vargas, e também docente convidada da Universidade de St. Gallen, onde leciona o curso "Doing Business in Latin America".

O evento foi realizado no Club zum Rennweg, no centro de Zürich. Fomos muito bem recebidos e servidos com aperitivos antes da palestra começar. Tive a oportunidade de conversar com a Ligia pessoalmente. Percebemos que por pouco não nos conhecemos no curso "Doing Business in Latin America" que ela leciona na Universidade de St. Gallen, por ter participado do curso no ano que ela não pôde comparecer.


Ligia Maura Costa e Stephan Neidhardt


A palestra de Ligia foi bem dinâmica, ela gosta de andar enquanto fala, e como o grupo era pequeno, ela nos deixou interrompê-la para fazermos perguntas. Após mostrar um breve vídeo para, como ela diz, "saborear" o Brasil, ela segue com uma pequena introdução sobre o país. Aprendemos que o Brasil é o país com a maior população da América Latina e do Caríbe, com quase 200 milhões de habitantes que, nesse instante, estão consumindo, especialmente porque o Brasil conseguiu reduzir um pouco a pobreza no país. Além disso, como o Brasil investe abundantemente na agricultura no país, ele é líder na exportação de açúcar, café, carne e suco de laranja.

Com isso dito, Ligia vai direto ao assunto. Aprendemos então que a intervenção governamental existe desde a colonização. Existiam barreiras de comércio que obrigavam o Brasil a exportar exclusivamente para o Portugal. Durante os anos 50 e 60, o Brasil era muito fechado para a importação e exportação de produtos. Hoje ele é membro da WTO e tem uma ótima implementação da legislação. Mas, de acordo com Ligia, o problema é a execução.

Patricia Guerra, Ligia Maura Costa und Stephan Neidhardt.

Afinal, porque importar para o Brasil? Primeiro, porque é o maior país emergente da região. Segundo, porque ajuda a reduzir a pobreza no país. Uma oferta maior de produtos estrangeiros no país, aumenta a competição e, idealmente, ajuda a reduzir os preços, tornando esses mais accessíveis para a classe social emergente de baixa renda. Quarto, comparado a 10 anos atrás, o país teve uma redução nas barreiras de comércio. Por último, de acordo com Ligia, é mais fácil trabalhar com o Brasil do que outros paises BRIC (Brasil, Rússia, Índia e Chína).

Como facilitar as importações para o Brasil? Primeiro temos que entender a legislação e burocracia local, e considerar isso no nosso plano de importação. Podem ocorrer desentendimentos por bobagens ou discordâncias, que podem bloquear a importação do produto por um tempo muito longo. Além disso, temos que identificar pessoas ou agências que podem ou precisam estar envolvidos na importação de bens. Esses indíduos possuem os contatos necessários para agilizar o processo de importação e são importantes aliados. Esses foram os principais argumentos de Ligia.

Dra. Dorit Sallis, directriz da câmara de comércio e Patrick Castiglia, redactor de PL


Pessoalmente eu gostei muito do tema da palestra, da palestrante e do ambiente. No final tivemos a oportunidade de fazer um networking, que hoje em dia, é indispensável. Espero que tenham gostado do breve relato e até a próxima.

Patrick Castiglia B.A. HSG © PuntoLatino





Quem sou eu? Prazer, sou rockeiro economista.
Sou Patrick Castiglia e nascí no século passado (1986) em São Paulo, Brasil. Estudei na Escola Suiço-Brasileira de São Paulo, e acabei de me formar em administração na Universidade de St. Gallen. Quem quiser o currículo completo, é só mandar um e-mail. Sim, meu cabelo é cacheado e eu sou rockeiro, mas no meu tempo livre eu leio livros sobre finanças, especulo na bolsa, moedas, real-estate e traço planos para conquistar o mundo. Não é minha primeira vez no PuntoLatino.ch, já aparecí como músico "Her Sweet Suicide" (www.hersweetsuicide.com) e como um dos entrevistadores de Rodrigo y Gabriela. Infelizmente tive que cortar o cabelo, porque, afinal, não queria mais assustar a sogra. "Né não?"